1.20.2012

Um outro olhar


Às vezes a gente vai se fechando 
dentro da própria cabeça, 
e tudo começa a parecer muito 
mais difícil do que realmente é. 
Eu acho que a gente não deve 
 perder a curiosidade pelas coisas: 
há muitos lugares para serem vistos, 
muitas pessoas para serem conhecidas. 
Tudo isso estimula a gente, 
clareia a cabeça, 
refresca. 
Por que não?

[Caio Fernando Abreu]

.
.
.
.

2 comentários:

Carolina Tavares disse...

Essa clausura que não é imposta, mas que é vivida, às vezes meio que desapercebidamente tende a empobrecer muito a pessoa.

Lembrei-me da música do Lulu Santos, Como uma Onda, em que diz... Há tanta vida lá fora...

Lauren disse...

Carolina.
verdade! A gente só não pode permitir que habite em nós!