6.03.2007

AMOR E SEU TEMPO

[...] É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe

valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida.
Amor começa tarde.

[Drumond]

Obs.: Me pediram...aí está!

4 comentários:

Leila Lopes disse...

à tarde do tempo certo, assim começa...
tão bem escolhido!
Beijos

Leila Lopes disse...

L.
fico feliz também por compartilhar poesia, mesmo quando de relance, depois estreitamos o laço e partilhamos sempre palavras que tocam a alma.
Aqui também é um espaço belo, uma comunhão de vozes, veja:
www.diversos-afins.blogspot.com
Seja bem-vinda.
Beijos

clarice ge disse...

Amor, palavra mor do poeta...
beijo pra ti e um link ...

clarice ge disse...

talvez eu seja uma sonhadora, (talvez nunca é uma boa palavra porque ela contém muitos 'ses'...) mas eu acredito na força do que pensamos para o mal e para o bem. Eu me lanço (isto é atitude) em direção a... (é uma escolha...) .
Lance esperanças querida.
Carinhos